Defesa Civil Municipal será implantada em Calçoene para atuar em ações preventivas

Foi necessária a criação da instituição em Calçoene, visto que quase todos os anos dezenas de famílias são desalojadas com o aumento do rio que banha a cidade A situação de emergência em que se encontra Calçoene devido o transbordamento do rio que banha a cidade, levou as autoridades a pensar na implantação da Defesa Civil naquele município. É importante que a comunidade e os representantes do poder público estejam conscientes da necessidade de um órgão governamental e de associações comunitárias que visem a segurança da coletividade.

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Amapá concorda que há urgência nessa iniciativa, visto ser no município que os desastres acontecem e a ajuda externa normalmente demora a chegar. O coordenador da Defesa Civil no Amapá, tenente-coronel BM Alexandre Veríssimo, disse à imprensa que o certo é cada município ter presente a Defesa Civil. “Agora vamos com o prefeito efetivado de Calçoene (Jones Cavalcante-PPS), para que seja implantada a Defesa Civil Municipal”, frisou.

É responsabilidade do Poder Executivo Municipal incentivar a criação e implantação da Defesa Civil no município. É necessário que a população esteja organizada, preparada e orientada sobre o que fazer e como fazer, pois somente, assim, a comunidade poderá prevenir e dar resposta eficiente aos desastres. Portanto, para se conseguir um resultado eficaz é necessário unir as forças da sociedade por intermédio da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) e de Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudec).

A Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims) também se deslocou ao município para realização de cadastramento das famílias afetadas. Até quarta-feira (15) deve estar sendo concluído o levantamento sobre os danos causados. A Defesa Civil e Corpo de Bombeiros retomaram o cadastro dos desalojados da enchente. A lista com os nomes dos afetados dará direito à doação de água potável, alimentos e colchões. Idosos e deficientes físicos terão prioridade aos suprimentos. O cadastro tinha sido interrompido neste domingo, devido as eleições no município.

Coronel Veríssimo disse que ainda no domingo foi possível juntar toda a documentação necessária para a solicitação de recursos federais, bem como ajuda humanitária, que deverá chegar até sexta-feira (17). A ajuda comunitária é composta por cesta básica com elementos suficientes para alimentar uma família composta por quatro pessoas durante cinco dias. “A Defesa Civil do Estado não sairá do município enquanto a situação não for normalizada”, concluiu.